Sejam bem-vindos ! O objectivo deste blog é divulgar Artistas Portugueses que se enquadrem no movimento artístico contemporâneo, tendo como principais ferramentas de expressão: a Pintura ( meio que o blog privilegia), Desenho, Escultura, Instalação e Video-Art. O critério de selecção está directamente relacionado com o Conceito, Qualidade e Criatividade dos artistas, independentemente de estes serem conceituados ou não, no entanto a escolha tem como prioridade a selecção de artistas pouco conhecidos e por descobrir,mas que demonstrem uma verdadeira paixão pela arte, não esquecendo é claro a qualidade das suas propostas criativas.

....Arte Contemporánea por Artistas Portugueses....

...Contemporary Art by portuguese Artists....

31 outubro, 2010

Ângela Serra


" The fruit of knowledge ", Oil on canvas, 70x50, 2010

 A pintura de Ângela Serra compreende a gesticulação do corpo, onde o rosto e seus trejeitos são captados por pinceladas corpóreas e expressionistas que nos revelam banalidades causais. As suas imagens figurativas são-nos expostas por uma acção que relembra o acto de fotografar, aprisionando momentos instantâneos irrelevantes ao nosso olhar.Neste processo fotográfico, onde a objectiva "paparazzi" transforma o indivíduo desconhecido em celebridade e o observador em voyerista, torna ambos performers do acto artístico requerido pela autora, onde a observação e o gesto expontáneo, se fundem num conceito que nos leva apreciar a estaticidade do momento, na intervenção do lugar e tempo.
 Estas referências de película fotográfica, onde o negativo clássico é revelado, transformam os cortes de composição em simbólicos momentos de pintura, que avivam a exposição fria da fotografia, revertendo assim o processo maquinal do pictorismo captado. O nosso olhar sente consequentemente a anatomia das figuras pinceladas, tal como os sentidos utilizados nos seus rituais diárias, momentos de aprendizagem, de descoberta e convivência, sacralizando assim as minuciosidades da vida, que são igualmente importantes e fazem parte do nosso processo evolutivo.

29 outubro, 2010

Carlos Farinha


" Derby ", Acrylic on canvas, 195x195, 2010

 O obras criadas por Carlos Farinha remetem-nos para um universo que poderemos designar como o renascimento de um romantismo contemporâneo, na sua origem esta manifestação artística que perdurou até aos finais do séc. XIX, teve na pintura grandes expoentes tais como Delacroix, e é este mesmo artista que por vezes divaga fantasmagóricamente nas obras criadas por este artista, ou então o Neo-Realismo de Diego Rivera.
 As composições de Farinha, cromaticamente quentes ou frias, estão repletas de figuras satirizadas, onde o seu individualismo se afirma, e consequentemente procura socializar-se com outras figuras adjacentes. Neste caos de figuração, onde o pormenor tem grande importância no desenrolar forçado da acção, todos os elementos criados, transportam-nos visualmente para uma abordagem teatral e caricatural da sociedade, nas suas mais diversas manifestações, onde a revolução das massas torna-se por vezes bem perceptível, no entanto, todo o seu envolvente dá-nos a sensação de estarmos perante um tempo passado, em que a bucalicidade é um sentimento que se encontra bem presente, sendo o mesmo retocada com modernismo, em que a  representação pictórica descreve um acontecimento específico, que tanto poderá ser político, social ou utópico.

site: http://www.carlosfarinha.net/

27 outubro, 2010

Susana Rosa


" Máscaras ", Acrylic on canvas, 140x120, 2010

 As obras de Susana Rosa, são nos apresentadas através de uma linguagem subtil, que muito vai beber à representação de imagens que se aproximam figurativamente do contexto infantil, onde a inocência é disfarçada por mensagens próximas da crítica social e política. Encontramos nesta paleta de cores claras, composições que nos acalmam e suscitam ao redescobrimento da criança que existe em nós, onde a alegria é um sentimento que se quer despoletar, em que o espectro da importância familiar encontra-se sempre presente, demonstrando assim a sua influência e segurança, pois as raízes crossomáticas da nossa existência é algo que sempre nos acompanham.
 Poderemos ressalvar que estamos perante uma pintura liberta de pretensão rígida, onde as pinceladas são de uma naturalidade própria, criando assim a sensação de ausência de esforço, onde resultado final é nos apelativo ao olhar.

site: http://susanarosapintura.blogspot.com/

26 outubro, 2010

António Saraiva


" sem título ", Acrylic on canvas, 57x47, 2010
 As pinturas de António Saraiva transportam-nos para a agitação metrópole da sociedade moderna, onde o movimento e a cadência de interações indefinidas surgem-nos perante o nosso olhar desatento e fugitivo do plano de acção.
 No entanto, após uma leitura mais cuidada, névoas formas e manchas padronizadas, materializam-se em acontecimentos que se aproximam da apoteose populacional das massas, poderemos lhe chamar de anarquia do ego colectivo, onde o singular indivíduo passa despercebido, sendo contaminado e influenciado pelo seu envolvente; O controle da dispersão e agitação, surge-nos por vezes com a utilização de barras verticais ou horizontais na sua composição, funcionando como policiadores da desordem que se quer controlada. Será esta uma manifestação política ou uma festividade que propala alegria perante os condicionadores da vida, ou quem sabe a ritualização de alguma fé?... Cabe então a cada um de nós tirar as suas conclusões.
 O trabalho geral deste artista poderá por vezes dar-nos a sensação que estamos perante um reviver contemporáneo do movimento Futurista que teve como seu impulsionador o poeta italiano Filipp Marinetti no princípio do sec. XX, movimento este que abrangeu as mais diversas artes e igualmente a pintura.

site: ...de momento o artista não tem nenhum link disponível...

25 outubro, 2010

Sofia Torres


" Wenn Zwei sich streiten, freut sich der Dritte... ", Acrylic on canvas, 100x160,2008

 O antropomorfismo
sendo um conceito que atribui características humanas a elementos da Natureza, independentemente da sua condição, sempre fez parte da História da Arte e do desenvolvimento das várias civilizações, ora ligado à decoração de objectos artesanais, ou mesmo empregue no desenvolvimento espiritual. A pintura de Sofia Torres, muito vai beber a esta fonte atípica de interiorização de sentimentos,que são revelados e expostos para o mundo externo, em que o figurativismo de suas personagens, são emersas e envoltas em espaços monocromáticos, revelando-nos toda a sua expressividade, adquirindo assim entidades próprias repletas de personalidade, onde a acção e o silêncio se unem num só, transmitindo-nos o que lhes vai na alma, mesmo que seja maioritariamente melancolia, tristeza e ausência, sendo estas expressões e olhares normalmente atribuídos ao Ser Humano.
 Seus trabalhos para além de desvendarem sentimentos, revelam-nos também uma certa acção social, sendo a reivindicação dos direitos dos animais uma delas. No entanto, deverá haver uma certa precaução no contínuo explorar destas ideias, pois a monotonia da obra de um artista é por vezes o seu maior inimigo.

24 outubro, 2010

João Dias


" In the corner of a bad dream", Acrylic and Coal on MDF wood, 100x90

 Após um primeiro contacto visual com os trabalhos de João Dias, temos a ténue impressão, de estarmos perante algo que se bifurca metamorficamente em dois sentidos, ou seja, deciframos o que poderá ser uma nova linguagem Hieroglífica perdida à muito no tempo, ou simplesmente, circuitos biomecânicos ou de origem industrial, estando estes ainda não identificados. Seguindo este raciocínio, a nossa imaginação poderá divagar por várias associações, entre as quais, poderemos estar a precensiar relatos históricos de uma específica cultura étnica que desconhecemos, ou porque não a nossa mesma...estando ela mascarada por vários substratos de pele.
 No seu todo, a pintura vaguea pelos caminhos da abstracção controlada, que simultaneamente, interage com a figuração encadeada e anímica, indicando-nos a estrutura e o funcionamento de algo, que não conhecemos ou nao queremos confrontar...

23 outubro, 2010

Dilar Pereira


"Grafiti", collage on paper, 11x11

 A colagem como técnica de expressão plástica, tem como ponto de partida a experimentação e a exploração da criatividade individual, características estas, que encontramos no trabalho desenvolvido por Dilar no seu "Daily Collage Project". Não sendo um projecto inovador, pois outros também o fazem, não podemos é claro, termos uma atitude depreciadora, pois seus trabalhos de pequeno formato, elaborados com uma grande variedade de papéis, onde um simples bilhete de autocarro, ou um selo que outra hora teve sua finalidade, passam a ter uma nova vida e significado.
 Nesta conjunção e afixação de matéria em suportes, que tanto podem ser tela ou papel, surgem composições interessantes e poéticas, onde o renascimento dadaista e nonsense são identificados, podendo relacioná-lo com o trabalho de Kurt Schwitters, um importante artista alemão que elevou a colagem a um estatuto merecedor de "medium". No entanto, convém sublinhar, que os trabalhos desta artista, partem do principio do puro prazer de criar, sentimento este, que por vezes é esquecido por outros, ou simplesmente, acaba por ser camuflado pelas exigências dos "mercadores" de arte.

site: http://dailycollageproject.blogspot.com/

22 outubro, 2010

Cartier

 
"Hospital Psiquiátrico", acrylic on canvas, 100x120

 O primeiro pensamento que nos ocorre perante a arte criada por Cartier, é que estamos perante um artista que expressa-se instintivamente na plasticidade de suas obras. Independentemente se gostamos ou odiamos este género de pintura, em que o nosso olhar analisa criticamente todo o conjunto, uma coisa é certa, estamos perante algo que cria impacto seja ele positivo ou negativo.
 Conceptualmente, discernimos perante este trabalho pictórico, onde as cores primárias são enaltecidas, apontamentos que nos levam directamente para a temática Punk, onde vários aspectos nos são confrontados, tais como a política, a sexualidade e a religião.
 Para além do âmbito ideológico Punk, a Street Art encontra-se também patente, no entanto esta pintura por vezes primitiva, leva-nos a relacioná-la com o movimento artístico impulsionado pelo o artista Jean Dubuffet em 1945, que viria a ser conhecido como Art Brut, para além de por vezes o nome de Basquiat vir á nossa memória.

21 outubro, 2010

Telmo Alcobia

" Pentagno", enamel and acrylic on canvas, 100x120

 O trabalho artístico desenvolvido por Telmo Alcobia, tem como base a criação de pinturas gráficas que se apropriam da linguagem sinalética, onde a síntese e o impacto da informação são imediatos. Esta simplificação de imagens permite um fácil acesso à sua compreensão, evitando assim os caminhos sinuosos criados pelo elitismo, que muito se encontra no mundo da Arte.
Tematicamente os seus trabalhos são desenvolvidos através de uma abordagem crítica conectada com o consumismo irracional do homem moderno, tal como, de certas políticas ambicionantes pela conquista do poder, onde o desgoverno é um facto muito provável de acontecer.
 Independentemente do conceito explorado pelo artista, o seu trabalho recorda-me pessoalmente o caminho percorrido por Keith Haring (artista gráfico e activista estadunidense muito conhecido, em que o seu trabalho reflectia a cultura nova-iorquina dos anos 80).

20 outubro, 2010

Hugo Silva

"Fast Drive", acrylic and oil on canvas, 87x88

 A pintura de Hugo Silva apresenta-se como uma transmutação literária no domínio da poesia e da prosa, onde por vezes se apropia de elementos da banda desenhada, relacionando-os com a cultura Pop para definir emoções, interrogações e interações do domínio da natureza humana, dialogando poeticamente com o observador através de belas composições.
 Tecnicamente o figurativismo associado aos seus trabalhos percorre a bidimensionalidade da pintura clássica associando-se à ilustração, no entanto, visualmente a pintura em si é muito minuciosa recordando por vezes o movimento Hiper-Realista surgido no final da década de 60 nos Estados Unidos e Inglaterra.

site: http://www.myspace.com/hugosilvart

19 outubro, 2010

Uma pequena introdução....

A razão fundamental que me levou a criar este espaço foi com o intuito de me dar a conhecer a mim próprio, tal como a vós, artistas plásticos que se enquadrem na contemporaniedade da arte Portuguesa sejam eles Pintores, Escultores ou estejam ligados à Instalação ou VideoArt.
Após ter feito algumas pesquisas pela net, reparei que o que existe principalmente no mundo dos blogues relacionados com Arte Contemporânea Portuguesa, são páginas próprias de artistas que divulgam o seu trabalho, ou outras que funcionam como um "Newsletter" divulgando exposições e notícias relativas à Arte, ou então os espaços das Galerias.
E por que não um espaço que dê a conhecer artistas, cujo a sua obra seja criativa e com qualidade, indiferentemente de serem conceituados ou não?!

 Por isso mesmo, LVSITANIC ART nasceu.
!namaste!
...Obrigado pelo Visita...Thanks for the Visit...